Rótulos de cerveja com realidade aumentada e braile

A criatividade estimulada por um mercado competitivo tem surpreendido o consumidor

 As cervejarias Colorado e Leuven conseguiram chamar a atenção com estratégias inteligentes (Fotos: Divulgação)

As cervejarias Colorado e Leuven conseguiram chamar a atenção com estratégias inteligentes (Fotos: Divulgação)

O mercado das cervejas artesanais tem o hábito de inovar. Seja na criatividade envolvida nas artes dos rótulos, seja no aprimoramento de sabores e experiências. Mantendo essa tradição, algumas cervejarias ao redor do mundo levaram o rótulo a uma outra dimensão.

A cervejaria paulista Leuven, por exemplo, fez exatamente isso ao criar um rótulo que ganha vida quando visto através da tela de um tablet ou smartphone. Basta baixar o aplicativo Cerveja Leuven AR, apontar a câmera do seu aparelho para a garrafa, e os personagens desenhados no rótulo ganham vida. Além dos movimentos, o aplicativo oferece informações extras sobre o produto. A marca acredita que por meio ddessa estratégia consegue atrair um público jovem e diferenciado.

Outra forma de ligar a cerveja ao mundo virtual é através da música. A cervejaria UMA BEER, de Brasília, criou uma playlist para cada uma de suas cervejas. Ao degustar a UMA JAZZ, por exemplo, você pode utilizar seu celular para escanear o QR Code da garrafa e acessar a playlist feita pela cervejaria no Spotify. A ideia, segundo os criadores da UMA BEER, é fazer com que a cerveja se torne uma experiência sensorial.

 UMA BEER aposta na trilha (Foto: Divulgação)

UMA BEER aposta na trilha (Foto: Divulgação)

Uma outra grande sacada comercial e um exemplo de inclusão é a nova cerveja Gabiru, da Cervejaria Colorado: além de ser uma linha baseada no bioma brasileiro, tem o rótulo em braille. A iniciativa foi muito bem recebida pelo mercado, e pode servir de exemplo para muitas indústrias. Mais do que apenas comunicar e veicular a marca de uma empresa, o rótulo pode ser utilizado para posicionar a empresa e demonstrar preocupação com causas sociais e diferentes grupos. Ainda não há como saber se a venda da cerveja Gabiru foi grande entre deficientes visuais, mas com certeza posicionou a marca de uma forma que surpreendeu e agradou ao mercado e aos consumidores.

Em um cenário social com tantas mudanças, é fundamental que a inovação seja prioridade no processo de criação e pensamento de uma marca. Com a competição acirrada em um mercado em expansão, o rótulo é, muitas vezes, a única forma disponível de comunicação entre o fabricante e seu consumidor. O posicionamento nas gôndolas e a grande variedade de produtos em mercados e lojas especializadas criam, ao mesmo tempo, dificuldades para pequenas cervejarias e a oportunidade de se destacar por meio da qualidade e da criatividade da marca.

Não é preciso gastar uma fortuna para acertar no posicionamento ou identidade visual da marca. A contratação de um bom profissional e uma comunicação clara e concisa é o melhor caminho para inovar de forma inteligente, inovadora e efetiva. É fundamental que o mercado cervejeiro continue se reinventando e investindo em inovações. Para isso, a mesma criatividade e paixão colocada em cada brassagem precisa também aparecer em cada rótulo.