O primeiro passo para criar um rótulo de cerveja

É preciso construir uma relação emocional com o seu o público alvo, e isso começa em um brainstorm

 Rótulo produzido pela Agência Alvo, de Bento Ferreira (Foto: Divulgação)

Rótulo produzido pela Agência Alvo, de Bento Ferreira (Foto: Divulgação)

BENTO FERREIRA

Antigamente os rótulos eram algo sem importância. Eles serviam “apenas” para informar ao público aquilo que estava sendo vendido, oferecendo poucos dados e detalhes sobre o produto. Além de os criadores utilizarem sempre os mesmos padrões artísticos, baseando-se nas artes “Ambevianas”, impostas ao Brasil no século passado, a criação de rótulos não variava muito, fazendo uso das mesmas fontes e não explorando o universo criativo a seu dispor. Parece que, após o primeiro rótulo ter dado certo, os criadores adotaram o formato como regra.

É sobre isso que nós vamos conversar hoje. É preciso entender que arriscar e usar a criatividade para criar o rótulo do produto é extremamente importante. Relacionar o rótulo com uma memória que lhe traga alegria, com um filme, uma música ou comida de que você goste é importante. Isso faz com que você construa uma relação emocional com o seu o público alvo.

Temos, atualmente, a possibilidade de focar em um público específico e trabalhar em torno dele, para atingir um rótulo esteticamente bem feito e chamativo, que se diferencie nas prateleiras dos mercados. Para isso, podemos utilizar cores chamativas, variar fontes e vetores, desde que escolhidos com critério e cuidado.

Na hora de criar o rótulo, o cliente e o designer precisam conversar e ter a famosa “brainstorm”, momento para os dois dividirem quaisquer ideias para o rótulo. Isso pode até parecer besteira, mas uma simples palavra pode se tornar um ícone importante na hora de montar a arte. Quando vou criar um rótulo, me preocupo muito em conversar o suficiente com cliente para que nós dois consigamos visualizar a arte de forma parecida, e assim começamos a produção do rótulo, criando e modificando quantas vezes forem necessárias para que fique perfeito e diferenciado. Já tive a sorte de fazer diversos tipos de rótulos, com objetivos bem distintos, e garanto que a melhor parte sempre vai ser a criação. A hora de escolher aquilo que será posto ou tirado da arte, de imaginar o público olhando sua cerveja na gôndola do mercado e despertando a curiosidade dele.

Na hora de criar seu rótulo, não tenha medo e arrisque, toda a ideia é válida! Você pode achar bobo ou simplesmente inútil, mas não tenha medo de falar aquilo que lhe vier à cabeça. Tudo pode e será usado, para que no final, o resultado seja incrível e atinja todos os seus objetivos.

Leia mais posts sobre design de cerveja aqui